Cemig volta a atender pedidos de usinas de energia solar

Retomada é conquista de mobilização de entidades do setor e parecer judicial obtido pela Absolar.
cemig almg

Imagem de destaque: Clarissa Barçante/ALMG

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) retomou o recebimento de pedidos de interligação para empresas que instalam mini e microusinas de energia solar fotovoltaica. A medida foi tomada após mobilizações de entidades do setor e lideranças políticas junto ao governo do estado. Além disso, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) conseguiu uma decisão judicial favorável à retomada das análises de projetos de mini e microgeração de energia fotovoltaica pela Cemig.

A Cemig não recebia novos pedidos de conexão em sua rede de energia para novas usinas de micro e minigeração desde o final de 2022, sob a alegação de falta de capacidade técnica para a conexão de novas usinas em sua rede elétrica. O impasse entre a Cemig e as empresas ameaçava inviabilizar o funcionamento de cerca de 400 empresas e acabar com aproximadamente 4 mil postos de trabalho em regiões nas regiões do Vale do Jequitinhonha e do Norte de Minas, de acordo com o jornal Estado de Minas.

Minas Gerais vem liderando a geração distribuída (GD) de energia elétrica por pequenas usinas no país. A Cemig, porém, dificultou o comércio de equipamentos da energia fotovoltaica para o autoconsumo local e autoconsumo remoto envolvendo instalações residenciais e comerciais e em propriedades rurais, além de clubes de lazer e outros empreendimentos. As entidades do setor e lideranças políticas fizeram mobilização junto ao governo do estado, especialmente, junto à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, e à própria Cemig, a fim de resolver a situação e retomar os empreendimentos. A Absolar também recorreu à Justiça.

O diretor-regional da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) em Minas Gerais, Walter Abreu, destacou a importância da mobilização das entidades do setor e da reportagem do Estado de Minas para encontrar uma solução para o impasse com a Cemig, que trazia o risco de enormes prejuízos para o segmento da energia solar fotovoltaica no estado. Ele ressaltou a importância da imprensa séria e independente e do associativismo. A Cemig já emitiu novos pareceres sobre empreendimentos previstos para o Norte do estado.

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress