Energia solar é ‘barrada’ em Alagoas

capa notícias (58)

Diversas pessoas que investiram em placas de energia solar através de diferentes empresas em nosso Estado estão atualmente buscando reparação de seus direitos, devido a se sentirem prejudicadas pela Equatorial Energia. Um exemplo é o senhor Airton Venceslau dos Santos, aposentado, que há dois meses vem lutando para que as placas de energia solar, nas quais investiu uma quantia significativa, sejam instaladas em sua residência. No entanto, suas expectativas de economia na conta de luz ainda não foram atendidas.

Segundo o relato de Airton Venceslau, pouco após a aquisição das placas, a empresa responsável informou: “Protocolamos o seu projeto e ele foi aprovado, mas com uma condição: o senhor deve instalar um transformador particular.” A empresa argumentou que a Equatorial Energia havia conduzido um estudo e concluído que a conexão do sistema do senhor à rede da Equatorial geraria um fluxo reverso. Portanto, como alternativa, a Equatorial está solicitando a instalação de um transformador próprio. A empresa assegurou que entrará com um recurso para evitar a necessidade do transformador, mas alertou que isso pode causar atrasos na ativação do sistema do senhor.

O aposentado reside em um condomínio no bairro da Serraria e, como seus vizinhos, investiu parte de suas economias na compra das placas de energia solar, esperando reduzir seus gastos mensais com energia elétrica. A empresa que vendeu as placas informou que a Equatorial alega que há muitos sistemas instalados no condomínio, tornando difícil a absorção dessa geração de energia.

A advogada Raquel Rocha, que representa os interesses de algumas empresas que comercializam placas de energia solar, explicou que há alguns meses as distribuidoras de energia passaram a aplicar, em sua interpretação, um artigo regulatório que cria obstáculos para que os consumidores acessem a rede de distribuição de energia e gerem sua própria eletricidade. Segundo ela, as distribuidoras estão interpretando o regulamento de forma desfavorável ao consumidor sem justificativa.

Essa situação não se limita a um único cliente ou empresa de energia solar. A questão do fluxo reverso (ou inversão de fluxo, conforme o artigo 73) está afetando toda a cadeia do setor de energia distribuída. Isso prejudica os consumidores no acesso à energia solar e faz com que as empresas de energia solar percam vendas. Há relatos de várias empresas em que os consumidores desistiram da compra devido a essas restrições.

Em uma nota, a Equatorial Alagoas esclareceu que, no que diz respeito à conexão e geração distribuída, segue as diretrizes do setor elétrico estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os clientes e empresas especializadas podem entrar em contato com a distribuidora pelo Call Center exclusivo, disponível no número 0800 082 2800, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, para esclarecer dúvidas ou obter mais informações.

Veja mais Notícias

Conheça o Azume

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress