Energia Solar no Brasil: Crescimento de 26% na potência instalada no primeiro semestre de 2023

Potência instalada

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), o primeiro semestre de 2023 registrou um notável crescimento de 26% na potência instalada em comparação a 2022.

Esse avanço foi fortemente impulsionado pela Geração Distribuída, que teve início em 2012 com a Resolução Normativa nº 482 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Essa regulamentação permitiu que os consumidores gerassem sua própria energia e a conectassem à rede de distribuição, viabilizando tanto a microgeração, com painéis solares em telhados, quanto a minigeração, como usinas e fazendas solares.

Além disso, a resolução resultou na criação do Sistema de Compensação de Créditos de Energia Elétrica (SCEE) e estabeleceu critérios para a conexão de sistemas à rede. Outras medidas governamentais, como isenções de IPI e ICMS, bem como a redução do Imposto de Importação sobre painéis solares, também estimularam o uso da energia solar.

A energia solar experimentou um crescimento impressionante, passando de 7 MW de potência instalada em 2012 para 32 GW em 2023. De acordo com dados da Absolar e da Aneel, no geral, desde 2012, a energia solar atraiu cerca de R$ 129 bilhões em novos investimentos, gerando mais de 778 mil empregos em todo o país e resultando em uma arrecadação de R$ 29,8 bilhões para os cofres públicos.

Além disso, os sistemas solares conectados à rede beneficiam aproximadamente 2,6 milhões de unidades consumidoras, proporcionando economia e sustentabilidade ambiental. A tecnologia fotovoltaica está presente em 5.530 municípios em todos os estados brasileiros, com São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná liderando em potência instalada.

As perspectivas de crescimento são promissoras, com o relatório “Perspectivas do Mercado Global para Energia Solar 2022-26” da Solar Power Europe projetando que o Brasil se tornará o maior mercado solar global até 2026, atingindo 54 GW de capacidade total.

De acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA), o país deverá superar a marca de 66 GW de potência instalada até o final de 2027, superando diversas nações líderes no setor.

Com resultados positivos em termos de sustentabilidade, redução do impacto ambiental e crescimento econômico, a energia solar está firmemente estabelecida como o futuro da matriz energética brasileira, com projeções otimistas para os anos vindouros.

Veja mais Notícias

Conheça o Azume

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress