Prefeitura de Curitiba economiza R$ 1,17 milhão com a energia da Pirâmide Solar

Pirâmide Solar

Em apenas seis meses, a Pirâmide Solar de CuritibaParque Fotovoltaico da Caximba, fez história ao gerar uma impressionante quantidade de energia limpa: 2.048,985 MWh (megawatts/hora). Essa produção seria suficiente para abastecer 2 mil residências durante seis meses ou 12 mil por um mês.

O impacto dessa iniciativa foi notável, uma vez que toda a energia gerada foi direcionada para alimentar 269 prédios públicos da Prefeitura de Curitiba. Isso resultou em uma economia substancial de R$ 1,17 milhão (R$ 1.178.514,52) para os cofres públicos municipais. Esses recursos podem agora ser direcionados para áreas cruciais, como o programa Mesa Solidária e ações de educação ambiental.

Setembro se destacou como o mês de maior geração de energia, com um recorde mensal de 455.801,72 KWh. O prefeito Rafael Greca elogiou a Pirâmide Solar como um sonho que se tornou realidade, convertendo luz solar em energia limpa e contribuindo para a redução da poluição e o combate às mudanças climáticas.

Essa inovação também representa a transição energética da cidade, reduzindo a dependência de combustíveis fósseis e emissões de gases prejudiciais. A Pirâmide Solar, inaugurada em março, é a primeira usina fotovoltaica construída sobre um aterro desativado na América Latina.

De acordo com João Carlos Fernandes, diretor de Eficiência Energética e Geração de Energias Renováveis da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, a Pirâmide Solar ainda não atingiu seu potencial máximo, mas já alcançou 84% da expectativa de energia gerada. Ele prevê que, com a chegada da primavera e do verão, a geração de energia continuará a aumentar.

Além disso, a Pirâmide Solar se tornou um centro de divulgação das energias renováveis, recebendo visitas guiadas de escolas, empresas e gestores públicos de todo o Brasil e do mundo.

O programa Curitiba Mais Energia tem desempenhado um papel fundamental nesse avanço, implementando painéis fotovoltaicos em diversos locais da cidade, incluindo terminais de ônibus e casas populares. Até o final de 2024, mais terminais de ônibus receberão esses sistemas solares, contribuindo para a sustentabilidade energética da cidade.

Em resumo, os números falam por si: 8,6 mil painéis solares, 4,55 MWp de potência instalada, 30% da energia consumida pelos prédios públicos do município e uma economia anual de R$ 2,6 milhões nos gastos com energia da Prefeitura de Curitiba. Essa é uma verdadeira revolução em direção a um futuro mais limpo e sustentável.

Veja mais Notícias

Conheça o Azume

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress