Professor viaja de bicicleta com placa solares até a Argentina e já planeja novas aventuras.

Cortada (16)

Rafael Basalo, professor de física em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, já viajou 2.046 km em seu trajeto, de bicicleta e sozinho, até a Argentina. As placas solares acopladas foram criadas pelo próprio professor e seus alunos, para que a viagem de 20 dias fosse possível.

“Passei por Cantagalo, Além Paraíba e peguei a Dutra, em Volta Redonda. De lá, fui para Campinas, Botucatu, Londrina, até chegar em Foz do Iguaçu e cruzar a fronteira.”

Antes do projeto Solar Trip, o professor já era um amante de esportes e aventura, carregando uma experiência de 35 anos de ciclismo:

“Já atravessei o deserto do Jalapão [Tocantins], de bike, sem apoio. Fiz parte da ‘Expedição Faraó’, de nove dias na Mata Atlântica. Fiz a ‘Estrada Real’, de moto, e travessias em caiaque oceânico. Também sou ciclista há 35 anos e especialista em provas de longa distância.”

Para a construção do “camper” ( pequena caixa onde a placa é levada ), participaram cerca de 20 alunos de escolas públicas e privadas. Para isso eles aprenderam a utilizar diversas ferramentas e processos na oficina, além de modelagem e impressão 3D. O painel solar acoplado reduz o esforço físico para pedalar, alimentando uma bateria que abastece o motor da bicicleta.

“ São quatro painéis de 100 W de potência cada um, com um total de 400 W. Mas, na prática, tínhamos uma média de 150 W de potência, o que era suficiente para carregar a bateria principal em 5 horas. Usamos um sistema híbrido, propulsão elétrica e humana. Eu precisava rodar 100 km em média por dia com a assistência elétrica. Em geral, eu fazia metade do trabalho e o motor a outra metade. Na prática, eu precisava de duas baterias de 800 Wh de capacidade. Então, os painéis deveriam me dar a segunda bateria.”

E ele não para por aí, o professor ainda tem diversas aventuras a cursar, e dá um spoiler:

“Já tenho dois projetos alinhados. O próximo se chamará ‘Volt desafio dois oceanos’ e vai acontecer no ano que vem. Vou sair do Rio Grande do Sul, cruzar o norte da Argentina, atravessar o Deserto do Atacama e a Cordilheira dos Andes e chegar ao Chile. “

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress