Brasil inova na Energia Solar Agrofotovoltaica para Impulsionar Setor Agropecuário

agrofotovoltaico

O agrofotovoltaico dá mais um avanço nas energias renováveis no Brasil: diferente do modelo tradicional, que costumava prejudicar o solo quando as placas eram instaladas próximas demais da terra, agora será testado em Minas Gerais, um modelo que permite tanto a geração de energia, quanto a agropecuária.

O modelo agrofotovoltaico foi desenvolvido originalmente na Europa, e no Brasil, será financiado pela Agência Nacional de Energia Elétrica e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

Será realizado em quatro módulos com área entre 300 e 400 metros quadrados cada. Sob as placas, serão plantados melão, morango, feijão e alface, além de pastagem para criação de bovinos.

“Estamos ainda na fase de definição da infraestrutura das placas, altura, largura entre as fileiras para respeitar a necessidade de luz das culturas. Mas pela previsão do projeto, até maio essa estrutura provavelmente já vai estar em campo”
~ Polyanna Mara de Oliveira, coordenadora do projeto

A intenção do projeto, é entregar ao produtor um modelo sustentável de produção agrofotovoltaica. Ele vai entender sobre qual altura colocar os módulos, o custo inicial, em quanto tempo vai ter o retorno do investimento, as culturas adaptadas, as mais vantajosas e os impactos ambientais, sociais e econômicos desse sistema.

Em 2019, um teste em Pernambuco, porém em menor escala, já foi bastante promissor. Foram utilizados 10 módulos fotovoltaicos com potência nominal total de 3,3 kW instaladas a aproximadamente dois metros do solo, abrigando sob ele um sistema de aquaponia onde foram cultivadas hortaliças, peixes e um galinheiro. A produção foi grande e os resultados, bastante satisfatórios. Além disso, o estudo mostrou que o sombreamento promovido pelos painéis fotovoltaicos resultou em uma economia de água de 14% a 29% quando comparado ao cultivo de hortaliças isoladamente.

“Eu acho que é um mercado que ainda tem muito espaço para se desenvolver, está numa fase inicial no Brasil. É um modelo de aplicação que o setor solar está se familiarizando mais porque é uma tecnologia que tem saído com sucesso da pesquisa, entrado cada vez mais na aplicação e estamos nessa etapa transitória”.
~ Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar)

Atualmente, existem cerca de 196 mil sistemas de geração de energia solar em áreas rurais do Brasil atualmente, o que representa 8,8% do total existente no país, com uma potência instalada de 3,6 gigawhatts. As expectativas, são que o modelo se torne referência no setor, e possa ser extrapolado para outras regiões do país.

Veja mais Notícias

Conheça o Azume

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress