Fotossíntese artificial transforma CO2 e água em combustíveis líquidos

Combustíveis solares são adequados para uso em veículos automotivos e diminuem a dependência pela extração de combustíveis fósseis.
Fotossíntese artificial transforma CO2 e água em combustíveis líquidos

Pesquisadores da Universidade de Cambridge desenvolveram uma tecnologia movida a energia solar que replica o processo de fotossíntese para converter dióxido de carbono (CO2) e água em combustíveis líquidos. O destaque da pesquisa é que esses combustíveis são do tipo “drop-in” – ou seja, prontos para alimentar o motor de um carro sem requerer nenhuma modificação.

A tecnologia reproduz a fotossíntese, o processo natural pelo qual as plantas convertem a luz solar em alimento. Ela consegue replicar esse processo natural através de folhas artificiais, usando a energia do sol para converter CO2 e água em etanol e propanol. Esses combustíveis possuem uma alta densidade energética e podem ser facilmente armazenados ou transportados.

Os combustíveis solares desenvolvidos por esses pesquisadores produzem emissões líquidas de carbono zero e são completamente renováveis, e, diferentemente da maioria dos bioetanois, eles não desviam nenhuma área agrícola da produção de alimentos.

Cambridge já vem explorando o desenvolvimento de combustíveis sustentáveis ​​e livres de carbono usando folhas artificiais há algum tempo. Até então, essas folhas artificiais só eram capazes de gerar produtos químicos simples, como o gás de síntese – uma mistura de hidrogênio e monóxido de carbono usado para produzir combustíveis, plásticos e fertilizantes. No entanto, seria necessário tornar a tecnologia mais prática, produzindo químicos mais complexos em um único passo.

Agora, as folhas artificiais podem produzir etanol e propanol limpos sem a necessidade do passo intermediário de produzir gás de síntese. Para isso, os pesquisadores desenvolveram um catalisador baseado em cobre e paládio otimizado de forma a permitir que a folha artificial produza produtos químicos mais complexos, especificamente os álcoois multicarbono etanol e n-propanol.

Pesquisadores de outros grupos já haviam conseguido obter produtos químicos similares usando energia elétrica. No entanto, esta é a primeira vez que produtos tão complexos são obtidos com uma folha artificial usando apenas a energia solar.

A tecnologia ainda está limitada à escala laboratorial. Apesar disso, os pesquisadores afirmam que suas folhas artificiais são um passo importante na transição para uma economia baseada em combustíveis renováveis.

Bioetanol é alternativa viável à gasolina

O bioetanol tem sido há muito tempo apontado como uma alternativa mais limpa à gasolina, pois é feito de plantas em vez de combustíveis fósseis. Hoje, muitos carros e caminhões nas estradas funcionam com gasolina contendo até 10% de etanol.

Os Estados Unidos são o maior produtor mundial de bioetanol, com quase 45% de todo o milho cultivado por lá sendo usado para a produção de álcool, de acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA.

Fonte: Nature

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress