Reino Unido descobre nova forma de armazenar energia por até 4 meses sem utilização de baterias

capa notícias (42)

Cientistas do Reino Unido descobriram novo material cerâmico que pode armazenar energia solar sem utilizar qualquer tipo de bateria.

Há alguns anos, cientistas do Japão sintetizaram um tipo de cerâmica com estrutura Ultra Porosa. Na época já havia uma suspeita das propriedades desse material em absorver calor e radiação solar. Tempos depois, cientistas do Reino Unido concluíram que o tipo de cerâmica é realmente capaz de capturar diretamente energia solar e realizar o armazenamento de energia.

A estrutura do material cerâmico, chamado de Metal Organic Frameworks (MOFS), é composto por uma rede de íons metálicos ligados por moléculas de carbono, possibilitando a formação de uma estrutura 3D.

Ao contrário do que você pode imaginar, esse material não vai absorver a energia solar de forma instantânea. Com isso, por ser um material poroso, os pesquisadores do Reino Unido tiveram a ideia de pegar tal material poroso e colocaram várias moléculas de um outro material que, de fato, realiza o armazenamento de energia, formando uma molécula completa, que funciona como um foto interruptor, podendo mudar seu formato ao entrar em contato com a luz solar.

O material funciona como uma mola que, quando comprimida, terá um acúmulo de energia e, ao deixar de ser comprimida, a mola voltará ao seu estado natural e a vai liberar essa energia. Então isso é basicamente o que acontece com esse material cerâmico.

Todo esse processo de compressão e descompressão libera energia e, dessa forma, em temperatura ambiente, essa energia se manterá armazenada e alguns testes já realizados nos laboratórios comprovam que o material tem a capacidade de reter energia por pelo menos 4 meses até que as moléculas comecem a voltar ao seu estado original e a energia vai se perdendo.

Para aproveitar essa energia novamente com este novo material, basta aplicar uma fonte de calor deste material e essa liberação acontecerá muito rápido, como se estivesse recarregando a bateria. O material poderia ser utilizado para duas aplicações, utilizando o calor de forma direta ou utilizando o calor para gerar energia elétrica.

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress